sábado, 19 de fevereiro de 2011

O som e o sentido

     Nos primeiros acordes só podia imaginar que algo de novo estava para acontecer, mas não tinha a noção do que estava por vir. Lá pelas tantas, quando o alvoroço já tomava conta do ambiente, eu já esta tomado pela felicidade de sua existência e pela satifação de te ver alí, altivo, belo como sempre, senhor de si, em sua nobreza que nunca acabará. O solo de sua guitarra se confundia com o meu silêncio também estridente, a confirmar a certeza que sempre tive de sua beleza.
     Em outro cenário, longe dalí, numa outra lua, vi-a elegante, cheia de si, sem a meninice de tempos atrás, agora com a adolescência escultural, mulher-bonequinha, anjo-mulher, eu quase bobo, você quase distante. Todo dia o mesmo ritual, numa jornada com vista para o futuro que te tornará a mais sublime das bonecas-gentes.
    São dois caminhos, dois motivos para a manifestação do orgulho que sinto por fazer parte desses dois mundos, felicidade única, mas em dose dupla.
    Aos olhos de muita gente, parece um mísero instante de loucura que acomete a alma humana. Para mim, a mais pura exaltação de duas vidas que me completam. O tempo, célere, a passos largos, quase me cega o horizonte que desponta quando lhes vejo.
    Agora me desnudo, por um instante, dessa minha insanidade contagiante para explicar os motivos de tamanho contentamento: eu assiti ao show do Affonso com sua banda, e a Clarice começou a trabalhar.
    Então tá!!! 

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Cidade do Samba

      Como qualquer evento que se presa, o carnaval não fica livre de imprudências e imperícias de seus organizadores. O incêndio ocorrido nos galpões de algumas agremiações na Cidade do Samba dá bem a dimensão do despreparo dos organizadores e dos órgãos de fiscalização quanto à segurança da festa que há muito marca o nosso calendário cultural. Em um mês talvez as escolas prejudicadas pelo sinistro consigam realizar um desfile digno, livre do crivo dos jurados. Menos mal que não houve vítima fatal, mas o prejuízo material dificilmente será recuperado dentro do pouco tempo que resta até o dia dos desfiles, com isso, a Portela, União da Ilha e Grande Rio certamente não trarão para a avenida a estética que elas programaram durante um ano de preparativos, e a tristeza que se abaterá na Marquês de Sapucaí só poderá ser compensada com a peculiar garra e superação dos integrantes. Na verdade, o único esforço que o povão pode fazer para não deixar o samba atravessar.
       O infeliz acidente não vai tirar o brilho do carnaval, mas serve de alerta para outros eventos que virão, como Copa do Mundo e Olimpíadas. Depois da quarta-feira de cinzas muita coisa precisará ser feita na Cidade do Rio de Janeiro e do Samba.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Boas-vindas

       É dificl escolher um tema específico para se iniciar os trabalhos em um diário que se pretenda atualizado. Já passamos do início do ano, mas nunca é demais destacar o novo governo que se inicia, agora com Dilma Rousself, em quem apostaremos nossas fichas em um trabalho com resultados satisfatórios, considerando seu passado de luta por tempos felizes na vida do povo brasileiro. Tão importante quanto a construção de um novo país é a manutenção de nossa história de conquistas até chegarmos aonde estamos, como forma de se medir nossa própria evolução.
        Muita coisa está acontecendo no Brasil, todo mundo arregaçando as mangas. Lá fora, também. No Egito, um tempo de fervura no cenário político daquele país, cuja população amarga trinta anos de governo sem resultados práticos e começa a reclamar mudanças. Não cabe, por ora, discustir as razões do infortúnio do povo egípcio e sua insatisfação com o modelo de Hosni Mubarak, mas chama a atenção a preocupação das autoridades locais e pesquisadores com o rico acervo do Museu Nacional do Cairo, vítima da ação de vândalos, que parece não terem a consciência da importância do legado alí deixado. Seja qual for o rumo que o Egito tomar, fica a expectativa de que os registros de nossos primórdios não se percam pelos desmandos do presente.
         Vamos à luta!